quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Certo ou errado?

O corpo humano, o nu, a exposição, o sexo... Tabus! E seu significado geralmente refere-se a uma proibição da prática de qualquer atividade social que seja moral, religiosa ou culturalmente reprovável.

Não estou aqui pra levantar bandeiras, defender ou acusar, quero somente expressar meu pensamento...

Vemos tantas cenas fortes, pesadas e impactantes com nu e sexo explícito em novelas e filmes, mas parece que quando uma cena do gênero é apresentada sobre um palco ganha ainda mais força. É como se o "ao vivo" chocasse mais pura e simplesmente pelo fato do espectador não poder mudar de canal ou não estar camuflado no escuro do cinema. Como se o fato das pessoas que estão ao redor perceberem mais facilmente a reação dos demais, inibisse uma resposta mais natural e sem pudores. Mas porque incomoda tanto quando é no teatro e menos, ou quase nada, quando é na televisão? E não me diga que em novela não tem disso...

Em todos esses anos que fiz e vivi teatro, vi muita coisa boa e ruim. Mas ruins por erros de concepção ou execução e não por que eu não concordasse com o que era feito. Não sou dona da verdade, assim como ninguém o é! Mas na minha humilde opinião, na arte não há certo ou errado... O que há é o seu e o meu jeito de fazer algo! Se eu compro uma ideia, entro de cabeça e defendo, mas se não concordo, me afasto e ponto final.

Não, eu não vi a performance que está causando polêmica por aí e não, também não concordo com o que fizeram, não gosto desse tipo de coisa. Acho agressivo, desnecessário, grosseiro. Mas como disse, eu não vi, não sei os motivos do grupo. Apenas imagino que a intenção seja o da pura missão da arte: instruir, divergir, instigar, etc. E claro, que eu faria de maneira completamente diferente, menos desrespeitosa ao público, menos na cara. 

Sou daquelas que questiona internamente o porque do SESC aceitar uma montagem como essa em sua mostra, o porque do governo liberar verba pra uma montagem como essa, mas confesso não conhecer a proposta em questão, logo não posso julgar. Repito que não faria algo assim, repito que não gosto disso, repito que não concordo,... Mas penso no porque isso incomoda tanto.

O que muitos reprovam publicamente, reproduzem na intimidade... E também fora dela! A hipocrisia gera tabus, assim como qualquer frase fora de contexto pode gerar confusão e conflito.

Apenas digo que acredito que na arte, não existe jeito certo de se fazer, existe o jeito de cada um, mesmo que outro não concorde. Afirmo mais uma vez que também me incomoda saber que ganham grana à beça pra explorar ânus alheios, enquanto muitos lutam pra apresentar espetáculos de qualidade à preço de banana por falta de apoio. Mas penso se isso incomoda tanto por ser o que é ou por mero tabu... É de se pensar, não?

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Arte?


Por sorte, não conheço nenhum colega que aprove, concorde e/ou defenda algo desse tipo como arte.

Desculpem! Mas arte pra mim é outra coisa!... Farei uma postagem sobre isso posteriormente. No momento, ainda estou muito indignada pra conseguir dissertar a respeito.

Mas não! Isso não é legal!

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Breve Atualização

Sim, faz tempo que não posto nada aqui. Mas é por um bom... Não, por um ótimo motivo: Andei trabalhando bastante!

Geralmente, o segundo semestre é mais movimentado nessa área. Principalmente quando o mês das crianças se aproxima. Nesse período que estive ausente aqui do blog, fiz eventos de diferentes vertentes, mas todos voltados ao público infantil.

Pra resumir um pouco, fazer uma breve atualização pra que mais adiante possa dissertar melhor sobre uma coisa ou outra, aqui vão algumas atividades que tive o prazer de participar: No mês de setembro minha principal atividade foram as blitz educativas Estrada Para a Cidadania com CIAVIP...








Tive oportunidade de aprender um pouquinho mais sobre uma vertente muito bonita, contação de histórias para bebês com a Trupe Parafraseando. Ainda e setembro e outubro, tive o prazer de colocar minha criança interior pra brincar em recreações com a Guidotti Produções Artísticas e com Fadulhas D'Arte Promoções de Eventos Artísticos...


O mês de outubro trouxe para a Katinsk Produções Artísticas, um novo cliente para o Teatro Empresarial. E foi com muito carinho e competência que participamos da SIPAT da DAE Jundiaí...





E, claro que não poderiam faltar os shows da Mad Science, sempre despertando o interesse científico em crianças de 4 a 124 anos...












E sim, graças a Deus, tenho novidades! Boas novidades! Mas vão ficar pras próximas postagens... E 2016 que me aguarde!

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Resultado

Quem me conhece sabe que eu sou uma "mãe coruja". Babo mesmo nas minhas "crias", na minhas criações, nos meus feitos, nas minhas realizações. Pois bem... Como se não bastasse escrever aqui sobre apresentações feitas com meus alunos, eu resolvi mostrar:

A turma da manhã apresentou "As Mancadas Nossas de Cada Dia". Um programa feito por dois apresentadores com esquetes que retratam acontecimentos cotidianos. Claro que cada trecho tem uma mensagem. Afinal essa já é uma marca registrada do autor Jorge Katinsk.



A turma da tarde apresentou um espetáculo infantil "A Floresta Encantada". Trazendo ensinamentos, graciosidade e diversão.


E assim aconteceu! E sim, eu ainda estou "babando"! E sim, vou me lembrar disso pra sempre e por isso quis compartilhar esses vídeos.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Teatro é trabalho! Ser ator é profissão!

Quando se fala em trabalhar com arte, o preconceito está sempre por perto. Mas além da falta de informação, isso talvez se deva à falta de comprometimento de algumas pessoas.

Eu levei anos pra crescer, amadurecer e entender o que precisava fazer pra ser profissional de fato, pra me formalizar e pra cuidar do meu futuro.

Fiz uma postagem aqui falando do cadastro como MEI... Pois bem, é um processo trabalhoso, porém simples depois que você entende como a coisa funciona. Corri atrás da minha formalização, inicialmente, para possuir um CNPJ e poder emitir nota fiscal de prestação de serviço, mas hoje vejo um pouco mais além. 

O valor pago mensalmente é pequeno, chega a parecer simbólico diante das vantagens à longo prazo. Talvez seja a idade batendo na minha cara, mas hoje estou feliz por ter me formalizado. Penso adiante... A profissão de ator é única e lhe permite trabalhar em qualquer idade, pois sempre haverá uma vovó pra ser interpretada. Mas chega (sempre chega) um dia em que não se tem mais condições para trabalhar. A disposição, a memória, a voz... Você já não é o mesmo! E então? É chegado o momento da aposentadoria. Me formalizar e recolher esse valor ínfimo, me garantirá uma aposentadoria na velhice. Não, não será muito grande, talvez mal dê pros remédios, mas é alguma coisa, é um alívio, é uma garantia, é merecido, é uma maneira de nos recompensarmos após anos de vida levando informação e diversão, anos vivendo teatro!

E no meu caso, que alimento o sonho de ser mãe, é um auxílio durante os meses que a barriga e os primeiros momentos com um bebê me impedirem de subir num palco. 

Resumindo, essa postagem é uma comemoração com um conselho embutido! Meus quase 30 anos me dizem que essa foi uma das melhores coisas que já fiz por mim mesma. E se pudesse aconselhar colegas de profissão, diria que também o fizessem por si próprios. Formalizem-se! Recolham seus impostos, façam o que puderem, paguem INSS e o seu eu do futuro, em tempo, irá lhe agradecer!

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Exagero X Falta de noção

Ontem vi uma notícia na "capa" do Yahoo que me fez subir o sangue. Claro que quando se trata de notícias desse tipo em sites como esse, eu fico com os dois pés atrás, maaaas... 

A manchete diz que "Marisa Orth surta e chama fã de louca", mas gente peraí! Quem tá errado nessa história? A Marisa que "surtou" ou a retardada que queria entregar cartinha e ainda subiu no palco NO MEIO do espetáculo?  

A Marisa foi rude? Sim, com certeza e com razão! Talvez não precisasse "tanto", mas o que essa retardada esperava conseguir interrompendo um espetáculo?

 Aí comecei a pensar... Já compartilhei por aqui, até mais de uma vez, minha opinião sobre a TV e toda a comodidade gerada por ela. A televisão não é a única culpada mas, na minha opinião, tem grande parcela de culpa na alienação da sociedade. As pessoas estão perdendo a noção!

Eu não estava lá, nem sei se é verdade, mas vamos levar em consideração que aconteceu exatamente como diz o site. Sendo assim, uma criatura sem noção de ridículo queria entregar uma carta pra uma artista da qual é fã... Até aí ok, mas durante uma apresentação teatral? No meio do espetáculo? Cara, não dava pra esperar até o final? E pra piorar, encarou a "bronca" da atriz em cena como brincadeirinha e ainda subiu no palco!!! DIONÍSIO DO CÉU, ME ACUDA! Tem probleminha, filha?... E aí, a Marisa chamou a tapada de louca (com muita razão!) e ela é quem é crucificada? Alô imprensa, tá cheirando cola? Vocês acham mesmo que uma atriz deve interromper sua atuação numa peça pra atender uma fã? Se sim, não sei quem é mais retardado nessa história, se é a menina que foi ao teatro pra fazer essa merda ou se vocês que estão noticiando o acontecido como se a errada fosse a Marisa chamando o segurança pra tirar uma maluca do palco. Por favor, né gente!?

Vamos acordar! Vamos ligar o modo "semancol" do cérebro e pensar um pouco antes de agir!

E Marisa, tô contigo!

sexta-feira, 10 de julho de 2015

2 anos watchatchá!

Em que você pensa quando se fala em entretenimento? E em festa de aniversário? O que dizer então quando o assunto é entretenimento em festa de aniversário? É fácil pensar em palhaços, esculturas em balão e coisas do gênero. Mas e se esse entretenimento, além de diversão, proporcionasse conhecimento? Então imagina uma maneira diferente e divertida de ensinar conceitos científicos no meio de uma festa de aniversário... E o nome disso é Mad Science!



 

Lembro da divertida genialidade do saudoso Mundo de Beakman e as experiências incríveis realizadas de maneira divertidamente simples por um cara de cabelo estranho. E eu nem poderia imaginar que um dia eu pudesse fazer algo sequer parecido. 





Hoje comemoro dois anos de criação da cientista maluca Lena Láctea. Com humor, criatividade e "falta de noção", seu nome não poderia ser mais ideal! Embora pareça viver com a cabeça no espaço, me surpreendo a cada vez mais com a vida que este personagem ganhou. Algumas de suas características foram absorvidas e aprendidas com cientistas esplêndidos, mas alguns aspectos parecem ter sido criados por sua própria conta e sem que eu tivesse qualquer controle. E assim, ela se tornou um dos personagens por que tenho mais carinho!

 
Sou grata pelo aprendizado que esse trabalho me proporciona e pela admiração que adquiri pelo mundo da ciência nesses dois anos. Sou feliz por ver sorrisos, os olhos brilhando das crianças e a expressão de admiração dos adultos. Agradeço pelas amizades que fiz neste ambiente de trabalho, com todas as risadas, maluquices e descobertas que vivemos juntos. E, enfim, por toda a diversão que esse trabalho proporciona! 


Não tenho um cara vestido de rato do meu lado, mas tenho cientistas tão malucos quanto a Láctea realizando coisas incríveis e instruindo crianças de todas as idades. E para tudo isso, nem mesmo o céu é o limite!


 


Watchatchá!

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Ganância

Vira e mexe me deparo com divulgações de espetáculos genéricos extremamente mal feitos de filmes Disney e equivalentes... Aí a criança vê o desenho da Galinha Pintadinha num cartaz e por mais que o nome do espetáculo seja "Mariazinha e a Galinha Pintadinha no Reino da Porcaria" (exemplo tosco, porém plausível!) a mãe leva a coitada da criança. A pobrezinha vai super acreditando que vai ver a Galinha Pintadinha do desenho, mas o que encontra no teatro é uma fantasia mal feita e uma maquiagem derretendo capaz de traumatizar até adultos.

Isso me incomoda de um jeito doido! A ganância por dinheiro é tão grande que faz pessoas montarem espetáculos de baixa qualidade para crianças, sem nem se importar com o estético ou com a história. E os pais, que muitas vezes não podem pagar mais por uma montagem apresentável ou acaba se deixando levar pelos desejos dos filhos, são obrigados a compactuar com a palhaçada toda pra desiludir ainda mais as crianças.

CALMA! Não estou dizendo que todos os espetáculos infantis que usam nomes de filmes famosos são ruins. Mas o fato de que a maioria é de uma qualidade deplorável, isso é simplesmente inegável!

Como profissional da área, sei bem como é difícil levar público para assistir um espetáculo infantil que não tenha o nome de um personagem famoso no título. Acreditem, eu sei! Mas peraí né, galera!

Caros pais e responsáveis... Também sei o quanto é osso pagar caro pra levar uma criança pra assistir "O Rei Leão" quando o ingresso de "A Turma de Madagascar" custa menos da metade. Mas façam um esforço! Conversem com seus filhos, juntem um pouquinho mais de grana, mas POR FAVOR... Se é pra levar criança ao teatro, que seja pra assistir algo de que ela vai gostar, algo que valha a pena o dinheiro gasto no ingresso, algo de que ela vai se lembrar com alegria e não com trauma por ver uma Peppa Pig gigante com olhos pintados de branco onde deveria estar a boca.

Caros colegas de trabalho... Invistam! Pra ganhar dinheiro é preciso gastar dinheiro! E, se tratando do público infantil, não economizem! É foda pagar direitos autorais, dói o bolso pagar caro por um figurino bem feito e um cenário prático e bonito sim! Mas vale a pena! Experimenta montar um espetáculo sem título famoso e sem personagem plagiado e corre atrás, cara! Vai correr por patrocínio, nem que seja "vaquinha virtual", mas tá valendo! Vale a pena pela qualidade de seu próprio trabalho, vale a pena fazer algo bem feito, vale a pena ver crianças felizes, vale a pena lucrar pouco no começo até que a montagem conquiste público com o boca a boca... Vale a pena!

Sejamos menos gananciosos! Vamos pensar mais no público do que em nós mesmos, pois sem público não há espetáculo!

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Missão dada é missão cumprida!

Em fevereiro fiz uma postagem sobre uma boa notícia, uma nova missão que aceitei com muito gosto... Ministrar uma oficina de teatro!

Iniciei o trabalho e fui conhecendo as duas turmas (manhã e tarde), explorando possibilidades individuais e coletivas, espremendo, experimentando, moldando.

Hoje, tive o incrível prazer de assistir as duas montagens feitas com meus alunos. Fiquei ansiosa, nervosa, um tanto à flor da pele,... Arrepiada, emocionada e, finalmente, orgulhosa! 

Por mais que tente, não consigo descrever de maneira fiel tudo o que senti durante todo esse período e, principalmente, no dia de hoje. 

Só sei que foi tudo lindo! Longe de ser perfeito, um tanto distante do que realmente havia concebido em minha mente, mas lindo! 

As apresentações apresentaram falhas e algumas delas podem ter sido conduzidas por mim, tenho plena consciência disso. Mas afinal, quando uma apresentação é impecável? O que é perfeição? Será que isso existe? Tenho lá minhas dúvidas! E por esse e outros motivos, no dia de hoje, me sinto feliz, realizada e com aquela sensaçãozinha de dever cumprido que insiste em colocar um sorriso largo no meu rosto (depois de chorar de emoção, é o mínimo que se espera! hehe).

Sou imensamente grata à amada amiga Riane Zohar pela indicação e confiança. Agradeço ao CCA São João Batista pela recepção de braços e coração abertos todas as quartas-feiras, principalmente ao Robson  pela aposta e a Debora por agora me emprestar para o mundo. Agradeço ao meu marido pela cessão dos textos e música e pelo apoio de sempre. Mas agradeço principalmente aos meus alunos! Sou grata por todo o carinho, pela confiança de me permitir conduzí-los para montagens tão singelas, bonitas e repletas de mensagens positivas! 

Obrigada por tudo, meninada! Vocês arrasaram! Vocês ARRASAM todos os dias! Merda hoje e sempre! Merda! Sucesso em tudo que fizerem na vida! E acreditem: Vocês são capazes de qualquer coisa e juntos são mais fortes!

Sei que muitas coisas vão mudar agora, mas procurem não se esquecer dos ensinamentos, das mensagens passadas em cena hoje, do que é possível fazer com trabalho em equipe. Tentem não esquecer de mim, porque eu... Não os esquecerei jamais!

Até uma próxima oportunidade! E parabéns pelo trabalho! Juntos realizamos tudo isso, pois sabemos que missão dada é missão cumprida!





















Beijos!

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Mais um "filho" que nasce com saúde

Já falei aqui sobre a esquete "A Família Gildézia", apresentada em 2011 dentro do espetáculo "As Mancadas Nossas de Cada Dia". Pois bem! No ano seguinte, a esquete ganhou uma espécie de continuação e o sucesso foi igualmente surpreendente e animador! Depois disso, surgiu a vontade de juntar as duas esquetes, melhorá-las, encorpá-las e transformar num espetáculo completo!

O texto demorou para ficar pronto, foi modificado diversas vezes e várias versões foram feitas. Mas a montagem mesmo não saiu e o projeto foi engavetado. No início desse ano, "A Família Gildézia" não estava nos planos, mas quis o destino que ficássemos exatamente com o número de pessoas necessária para formar o elenco da "Família"... Pelo menos era o que nós pensávamos! 

É impressionante a falta de compromisso de algumas pessoas. Independente de você ser aluno de um curso de teatro, ou ator profissional, ou amador, ou bolsista... Honre seus compromissos e não ferre os colegas! Pra resumir... Por medo, por falta de vergonha na cara, por falta de responsabilidade, falta de compromisso e até por filha da putagem, nós "perdemos" (pra não dizer que nos livramos de) ao menos 7 pessoas! É muito furo pra tão pouco tempo! Mas isso não nos abalou! 

Mesmo com todas as adversidades, das mais inimagináveis, conseguimos estrear essa montagem tão querida e esperada não somente por nós, mas também por amigos que conheciam a história dessa família baiana. Mais um filho da Katinsk Produções nasce saudável!

Fiquei muito feliz com o resultado final, com a público de 60 pessoas numa noite fria e chuvosa de domingo num espaço que acomoda 100 pessoas. Saldo mega positivo em vários quesitos! Claro que não foi perfeito, mas nada que empobreça ou diminua o brilho da montagem. 

Agradeço imensamente a todos que nos prestigiaram! Ao elenco, verdadeira família, agradeço a confiança e companheirismo! Agradeço até as pessoas que talvez pensem conseguir nos prejudicar, mas que na verdade só nos deixam mais fortes e capazes de superar qualquer obstáculo.

Em nome da Cia. agradeço o acolhimento da Casa de Cultura Salvador Libague. E aproveito para convidar todos para a reapresentação dessa comédia nordestina no dia 14 de junho às 20h no mesmo local.

Elenco, da esquerda para direita: Lucia Costa, Gercilene Santos, Jorge Katinsk, Janaina Eloa e eu, Hellen Bravo.
"A Família Gildézia" espera por vocês no dia 14 com muita alegria e amor! Evoé!... Eita Porra! ;)

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Adolescentes

Na última postagem falei sobre fazer teatro para crianças... O que dizer então sobre teatro para adolescentes?

No fim do mês de abril, em meio há muitos acontecimentos, comecei a ensaiar um novo espetáculo: "Tem muito lobo mau disfarçado de vovozinha. Cuidado pra não ser a próxima vítima!". Um trabalho de muita responsabilidade, pois trata sobre bullying, bagunça na escola, primeira balada, drogas, namoro consciente, sexo na adolescência, abuso sexual e amizade.

Foram dias seguidos de ensaio intenso e muita diversão. E quando o elenco se dá bem o resultado só pode ser positivo como realmente foi!

Fizemos uma pré estreia de arrepiar com ótima receptividade do público. A estreia pra valer aconteceu no Paraná com a presença das autoridades locais. Foram dois dias incríveis! A certeza de estar indo pelo caminho certo só aumentou e a sensação de bom trabalho é maravilhosa!






























Essa postagem é mais um agradecimento! Agradeço imensamente por esse trabalho bacanérrimo com essa equipe do bem e que se dá bem e com uma proposta pra lá brilhante! 
 
É um privilégio e um imenso prazer fazer parte disso!

Vamos seguindo adiante levando este instrumento de divergência, advertência, ensinamento, documentação e instrução para todo o Brasil!

Merda hoje e sempre! Evoé!

sábado, 4 de abril de 2015

Para crianças

Há quem menospreze o teatro infantil. Na minha humilde opinião, ator que diminui um ou mais gêneros teatrais é, no mínimo, um medroso! É natural que sintamos afinidade com um determinado gênero, mas isso não é motivo para depreciar outros. Afinal, um bom ator faz de tudo... Da comédia à tragédia com o mesmo profissionalismo e entrega de corpo e alma.

Quem esnoba o teatro para crianças só tem a perder, pois esse é, simplesmente, o público mais sincero, crítico e disciplinador para um ator. Aquele ator que subestima o público infantil deve ser um adulto frustrado, que não teve infância e não entende a importância da cultura na formação de um caráter! 

Se o teatro tem a função de divertir, ensinar, documentar e instruir, nada mais justo do que provocar o gosto por essa arte ainda na infância. Se hoje tantos reclamam da falta de educação do público adulto, talvez isso se deva à falta de incentivo durante a infância desse público.

Eu já disse aqui e repito que acredito que um ator nunca para de aprender. Evoluímos a cada ensaio, apresentação e gênero trabalhado. Acredito também que nenhum gênero deva ser desprestigiado, muito menos o infantil que nos proporciona um jogo de cintura em cena como nenhum outro.

Pois bem, na última semana tive mais uma vez o prazer de trabalhar para esse público tão delicado. E não vou mentir, cometi erros! E acho isso ótimo, pois é errando que se aprende! A vida resume-se em errar para consertar, fazer melhor pra poder cometer novos erros e assim melhorar sempre num ciclo sem fim!

"Vida Saudável - As Aventuras da Coelhinha Xang-Bom". Foi uma montagem de páscoa... Sim, com todo o calor inerente do nosso país potencializado por figurinos de pelúcia, mas TUDO VALEU MUITO A PENA! Não existe nada mais gostoso do que ver o sorriso no rosto de uma criança, sentir o quanto estão curtindo, se divertindo, se encantando e aprendendo. E quando a companhia é boa, tudo fica ainda mais fácil e divertido. 
























Obrigada meus companheiros de cena, obrigada CIAVIP por esse lindo trabalho. Continuemos levando o teatro onde o público está, levando arte pra que todos possam apreciar, levando cultura para todos!

Agradeço ao Pai Maior por me presentear com essa dádiva. Por me permitir levar arte e educação à esses pequenos, por me proporcionar a graça de encantar. Por me agraciar com o dom de atuar!

E àqueles que não curtem trabalhar com e para crianças... Não sabem o que estão perdendo!

segunda-feira, 30 de março de 2015

Química cênica

Quando você se dá bem com alguém tudo fica muito mais fácil, some isso à uma química em cena e terá um espetáculo incrível!

Tenho alguns colegas com quem me dou muito bem em cena e fora. Nem vou citar todos pra não correr o risco de cometer a injustiça de esquecer o nome de alguém, mas essa semana aconteceram duas coisas que provam o quanto uma boa química cênica é importante e o quanto isso ajuda.

No começo dessa semana tive o prazer de ensaiar pra preparar uma nova peça com uma colega de trabalho muito bacana e que esteve afastada dos palcos e do país... Já nos dávamos bem e ensaiando observamos o que já desconfiávamos, temos uma química cênica incrível! Prova disso foi a facilidade em que deixamos o espetáculo pronto. Obrigada pela confiança e pela parceria, Elaine Oliveira. Que venham mais oportunidades como essa!

Ontem estive em cena com um grande colega de trabalho também. Não ensaiamos, nem sequer combinamos absolutamente nada, apenas sabíamos o que deveria ser feito e só! Estávamos com uma energia sem igual, parecíamos duas crianças atentadas. Brincamos, nos divertimos e o mais importante: divertimos nosso público infantil e adulto simultânea e naturalmente! Foi impressionante, delicioso, revigorante, divertido, WATCHATCHÁ (Entendedores entenderão)!!! Obrigada, Tiago Prates! Seu caminho será belo, pode confiar! E no que eu puder se útil, pode contar... No mais, estarei sempre na torcida!

Estou feliz por tudo isso! E só por isso senti vontade de fazer essa postagem hoje. Esse ano promete ser muito positivo no meu campo profissional, mas eu não esperava tantas gratas surpresas! Estou muito feliz e sou muito grata por tudo! Tenho amigos incríveis, colegas de trabalho de quem sou verdadeira fã! Obrigada por fazerem parte da minha vida e da minha estrada. 

MERDA PRA TODOS NÓS!

terça-feira, 24 de março de 2015

As lições

O que aprendi com o teatro? Bom, em primeiro lugar eu aprendi que nunca vou parar de aprender. Viver é um constante aprendizado e, se a vida imita a arte e o teatro representa a vida, então fazer teatro é aprender a cada nova experiência. Aprende-se o tempo todo e até sem perceber! São valores que um ator deve ter sempre consigo durante seu fazer teatral e que todo aquele que vive em sociedade deve praticar diariamente. Com o teatro eu aprendi...

- Que saber ouvir é primordial
Não basta ouvir. É preciso estar atento e compreender o que se ouve! De que adianta você estar ouvindo o que o colega de cena fala esperando a sua deixa e se ela for dita de maneira diferente da prevista você se embananar todo porque não estava prestando atenção?

- A ter comprometimento
Horário é horário, então não chegue atrasado. Quando você se atrasa você atrapalha o trabalho de todo o grupo e não apenas o seu. Tenha comprometimento com o que faz e faça de coração! Estude, leia, decore e não ferre os colegas.

- A respeitar. Você não é melhor do que ninguém!
Do cara que está no palco até o cara que dá o play na sonoplastia... Todos têm a mesma importância! Do cara que veste e branco e te examina num consultório até o cara que varre a rua... Todos merecem o mesmo respeito! E seguindo essa linha de pensamento...

- Que no teatro não há espaço para egos inflamados
Não existe personagem pequeno. Cabe ao ator dar o melhor de si e fazer o personagem ganhar destaque com seu trabalho.

- Que aquecimento é importante
Se não der uma bela alongada no corpo, uma aquecida e, principalmente, se não cuidar da voz... Esqueça! Você vai terminar cada apresentação com dores terríveis pelo corpo, com dor de cabeça e sem voz.

- A ter calma e respirar
É uma droga prestar atenção na própria respiração, pois parece que ela sai do "automático". Mas essa automação deixa nossa respiração toda errada. A correria do dia a dia faz isso com a gente! Então tenha calma e respire sempre... Sinta seus pulmões se encherem de ar, seu diafragma se dilatar e me agradeça ao perceber o quanto isso ajuda na sua projeção vocal. De nada!

- Que brincadeira tem hora
Não queira ser o engraçadão da turma. Há o momento certo e a maneira certa de brincar.

- A olhar nos olhos
Quem desvia o olhar normalmente está mentindo. Encare seus colegas, procure olhar nos olhos de seu interlocutor e uma química inexplicável se dará, você vai ver!

- A deixar os problemas do lado de fora
Você tem problemas? Todo mundo têm! Mas é preciso deixá-los do lado de fora e permitir-se submergir no universo teatral, seja numa simples aula ou num ensaio e, principalmente, em dia de apresentação. Ninguém vai ao teatro pra saber dos seus problemas, mas sim para acompanhar os conflitos dos personagens e a história do espetáculo.

- Que se o mundo é um ovo, o universo teatral é ainda menor
O mundo gira, caro colega! Hoje quem diz não, amanhã pode precisar que alguém lhe diga sim. E nesse meio você sempre vai precisar da ajuda de alguém, pra alguma coisa, em algum momento. Vamos falar o Português bem claro... Existe muito filho da puta no mundo e no meio artístico existe o dobro! Apenas não seja um deles e fique esperto pra não ser passado pra trás por eles. Lembre-se: Não é preciso usar ninguém de degrau pra conseguir subir na vida!

Pra encerrar deixo um conselho: Quando você achar que está bom, saiba que ainda é possível melhorar muito!

sexta-feira, 6 de março de 2015

A opinião não é só minha

Recentemente eu fiz duas postagens falando um pouco da minha opinião sobre televisão e tudo o que isso envolve. Pois bem, quando eu falo provavelmente ninguém dá trela, então passo a palavra pra uma das atrizes mais talentosas do país e que, assim como eu, ama o teatro... Marisa Orth!

Aqui vão algumas passagens de uma entrevista recente dela:

Pergunta – Você acha que representar é um dom?
Marisa Orth – Acho que é uma missão. Ou é uma coisa de outra encarnação ou é uma neurose muito precocemente adquirida, o que pode ser também.

Pergunta – Sobre o estigma das atrizes…
Marisa – Tem o estigma de que a atriz é falsa, tem o estigma de que a atriz é fácil, porque ainda pega o negócio de beijar na boca de qualquer um, é incrível. Fico chocada, mas tem. O pessoal acha que é muito divertido fazer cena de sexo e é um horror. Uma semana antes, a gente fica desesperada porque vai ter a cena de sexo. E atire a primeira pedra a atriz que faz isso muito à vontade porque é dificílimo. `Ah, mas se você tiver tesão pelo…´ piorou! Graças a Deus, por obra do Divino, eu nunca estive em situações assim. Porque se você tem algum interesse na pessoa, aí é mais constrangedor, é horrível. A gente tem essa separação do corpo, por obrigação. Não que a gente seja devassa, não é nada disso. Dá muito bem para você beijar e não estar beijando. Assim como existe a situação na vida em que você está sentada perto da pessoa, sem nem tocar, e está rolando um clima absurdo! Pelo amor de Deus., é incrível que as pessoas não acreditem nisso. Então, o estigma da falsa, o estigma da fácil e a fama. A fama é outro estigma.

Pergunta – Você tem o famoso tempo da comédia. Aliás, como você define esse tempo?
Marisa – Um ritmo. É uma coisa musical. É muito exato. Por isso é que se costuma dizer que comédia é mais difícil do que drama. E porque não se aprende. Você conhece alguém da sua família que não sabe contar piada e começou a contar bem piada?

Pergunta – Não, mas mesmo assim insiste em contar.
Marisa – Exatamente, toda família tem uns dois, três. Lá vem de novo…

Pergunta – O seu lado musical te ajudou como atriz? Ajuda ainda?
Marisa – Sim, ajuda muito. Eu acho que não existe bom ator sem ouvido musical.

Pergunta – Por causa do ritmo?
Marisa – E do ouvido. Assim como pela nota musical da frase. Porque um cara que não tem ouvido musical, quando o diretor fala ‘mais doce´, ele abaixa o volume. Não, ‘mais forte´, ele aumenta o volume. Mas a sequência de notas da frase ele não é capaz de mudar.

Aí vem a parte que realmente gostei e que me deixou muuuuuito feliz...

Pergunta – E o teatro é a arte do ator, como se costuma dizer?
Marisa – É. Teatro é delícia. Primeiro, porque você estuda, pode repetir. É como um quadro, você ensaia dois meses. Aqui eu vou fazer esse gesto, aqui eu vou fazer essa boca, aqui não sei o quê lá. Você apresenta um trabalho mais bem-acabado, ensaiou dois meses aquilo, três, às vezes. Eu sempre digo que qualquer peça que você faça, por pior que seja, sai melhor atriz. Você aprende melhor, porque você melhora ao ensaiar. E qualquer trabalho em televisão, por melhor que seja, te piora como atriz, porque você não ensaia.

Pergunta – O teatro é o território para se arriscar mais?
Marisa – Teatro é a pós-graduação do ator. É onde você estuda, onde você melhora.


Acho que ficou bem claro o que eu quis dizer esse tempo todo. Mas, claro, todos sabemos que quando ela fala tem mais credibilidade. Não julgo os que pensam assim, só queria mesmo mostrar que, graças à Dionísio, não estou sozinha em minhas opiniões! Ufa! Obrigada Marisa! 

Pra quem quiser ler a entrevista na íntegra, é só clicar aqui!

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Perguntinha inocente

Na última quarta-feira lá fui eu, mais uma vez, dar aula de teatro. Tudo correu bem com a turma da manhã e após o final eu fui almoçar. Uma das minhas alunas (de 9 anos) sentou-se à mesa pra me fazer companhia e aproveitou pra conversar. Foi então que ela me fez a seguinte pergunta:...

"É verdade que fazer teatro te leva, assim, a quase ser atriz?"

Espera aí que perdi o fôlego de novo aqui! Geeeeeeeenteeeeee! O que a TV tá ensinando pra essa geração? Que medo! Ok, acho que agora já dá pra continuar... Vamos lá!

Respirei fundo, tomei um gole de água pra me recuperar e respondi: "Ator é todo aquele que interpreta e representa uma ação dramática com base num texto. Então, todo aquele que faz teatro é um ator! Mas se a sua dúvida é sobre aquelas pessoas que aparecem na televisão fazendo novela, eles também são atores, mas eles fazem esse trabalho de um jeito um pouquinho diferente e cá entre nós, não é tão glamouroso como você deve imaginar. Vou ter tempo de explicar isso melhor pra vocês aqui nas nossas aulas, tá bom!? Mas olha só, eu sou sua professora de teatro, você nunca me viu na TV, mas eu sou atriz! Deu pra entender mais ou menos?" - Ela sorriu e consentiu com a cabeça! E assim tentei explicar da maneira mais simples e direta possível. Ela parece ter ficado bastante satisfeita com a resposta e como disse pra ela, terei tempo de conversar sobre isso com eles em aula.

Aí meus pensamentos se voltam novamente a "caixa eletrônica mágica". É triste a forma como a mídia faz as coisas parecerem ser mais do que realmente são. Sei o quanto alguns jovens procuram o teatro querendo chegar à TV e achando que pra isso precisam passar pelo teatro antes e agem como se o teatro fosse um sacrifício a ser superado pra se chegar à glória que, mal sabem eles, simplesmente não existe! Dói ver isso, meu coração sangra por saber que, infelizmente, muitos pensam assim e minhas experiências de trabalho parecem sofrer comigo de tanta tristeza!

Deixo aqui um apelo aos jovens atores e possíveis aspirantes à televisão: não menosprezem o trabalho de ator de teatro e não encarem o teatro como uma fase chata que você precisa passar pra chegar onde quer. E um conselho: não pensem que quem trabalha na TV tem uma vida sensacional, ganha muito dinheiro e respeito porque não é bem assim que a banda toca! Acreditem!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Notícia boa vem quando a gente não espera

Desde o finalzinho do ano passado eu estou ciente que 2015 seria um ano de muitas promessas, planos, metas, objetivos, muitos planos e projetos facilmente executáveis. Mas quando eu acho que já sei de tudo o que pode rolar, me aparece uma novidade!

Na segunda-feira dessa semana recebi uma ligação de uma pessoa muito querida e um convite para comandar uma oficina de teatro. E eu prontamente aceitei a missão! Faz bastante tempo que não tenho oportunidade de exercitar esse meu lado e eu adoro dar aula de teatro... Aula prática e teórica! E como em São Paulo distância é uma coisa muito relativa... "O teatro vai onde o povo está!"

Pois bem, na última quarta-feira já tive meu primeiro contato com os alunos. São duas turmas no mesmo dia, manhã e tarde. Uma criançadinha/pré adolescentes muito bacana! Boa parte deles são bastante interessados e foi tudo tranquilo. Claro, que há sempre aqueles mais exaltados e que exigem uma voz mais autoritária, mas não é nenhuma situação que eu não tenha conseguido contornar. E deu pra perceber bem que eles curtiram a primeira aula!

A meta é trabalhar com eles por 5 ou 6 meses e realizar uma montagem no final. (Ah, eu vou adorar isso! haha). Alguns deles já tiveram contato com teatro, já tem alguma noção e outros não. E a possibilidade de trabalhar teoria em conjunto com a prática deverá deixar tudo mais interessante. 

Eu certamente devo fazer postagens periódicas por aqui pra falar da evolução das aulas. Mas estou bastante animada e fiquei muito satisfeita com o primeiro dia. Acredito que vai dar muito pano pra manga, vai ser bem legal pra mim e pra eles. 

Me desejem sorte... Ou melhor, me desejem MERDA! E vamos que vamos, pois esse é só um dos muitos projetos que tenho engatilhado para esse ano. 2015 será um dos anos mais importantes da minha carreira, tô sentindo isso!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Caixa (eletrônica) mágica

"Na televisão tudo é muito superficial. Só o teatro realimenta o ator. Ao fazer uma peça de teatro, ele é obrigado a, todo dia, melhorar e aprofundar sua interpretação". E não sou eu quem diz isso, são palavras de Paulo Autran!

Não sei se já disse isso aqui, mas não gosto de novela. A última trama que acompanhei foi "Senhora do Destino" (2004) e depois disso perdi o tesão! Algumas pessoas (principalmente as que não são do meio) me perguntam "mas você é atriz, como pode não gostar de novela?". Não consigo mais assistir, não tenho mais saco pra acompanhar o mesmo bolo sendo feito sempre do mesmo jeito trocando-se apenas a cobertura! Enjoa! Pra mim é um fato incontestável que as emissoras (principalmente a Globo, claro!) descobriram uma fórmula pra fazer novela e essa fórmula não pode ser muito alterada, pois nesse caso deixaria de ser a "fórmula do sucesso". Mas caramba, dá pra inovar? É sempre a mesma ladainha... Casal que se ama, mas não fica junto por causa de um vilão que acaba ficando louco ou morrendo, tudo se resolve na última semana e no último capítulo todos vivem felizes para sempre! Aaaah, me poupe! E sim, eu sei que nem toda trama se desenrola dessa maneira, mas a fórmula é a mesma, pode acreditar!

Bom, mas o que eu penso a respeito de novelas não é exatamente a questão aqui. Acontece que depois de muuuito tempo sem ter a menor disposição pra isso, ontem a noite tive o desprazer de assistir uma única cena. E só ela foi mais do que suficiente pra me embrulhar o estômago! 

Telespectadores, por favor! Sejamos sensatos! O que é Paulo Betti tentando, em vão, interpretar um homossexual? Me deu um arrepio na espinha ao ver tamanha falsidade, desleixo e falta de bom senso de um ator! Não é possível que mesmo alguém que adore novela e não seja da arte não perceba o quão feio é isso! Interpretação caricata, nonsense e que, na minha opinião, chega a ser ofensiva!

Chamamos um palco italiano de "caixa mágica" e a televisão parece ser uma "caixa eletrônica mágica" onde tudo pode acontecer... Inclusive coisas absurdamente ruins que ferem o bom gosto e subestimam a inteligência do povão. E isso me fez pensar... E se não fosse na Globo? E se não fosse Paulo Betti? Provavelmente revistas e programas de fofoca estariam metendo pau e talvez já tivessem dado um jeito de matar o personagem, por que né... Pelamor!

Aí, como nada acontece por acaso, li a frase do grande Paulo Autran que iniciou essa postagem. Sim, o Paulo Betti já teve tempo suficiente pra procurar melhorar esse seu trabalho, mas parece que ele não está muito feliz com que está fazendo então de qualquer jeito tá bom. Por isso amo os diretores de teatro, que pegam no pé de um ator e xingam se preciso for. Por isso amo o teatro em si que aproxima o público e permite ao ator perceber quando não está agradando e isso pode motivá-lo a querer melhorar. 

Por isso tudo digo que não precisa ser bom pra estar na TV. Basta ter um QI ou um rabo bonito... Estão aí ex BBBs que não me deixam mentir! Então, caros atores colegas de sofrimento, se é a fama da TV que almejam, aconselho que rasguem seus DRTs, esqueçam tudo o que aprenderam e vão assistir Paulo Betti na novela. Aparentemente, isso é o que funciona por lá! Eu continuarei por aqui, com a singularidade e simplicidade do teatro, muito obrigada!

sábado, 24 de janeiro de 2015

BOOM!

Já falei aqui sobre o meu site, certo? Foi há pouco mais de um ano, quando ele completava 5 anos de internet!

Recentemente ele quase saiu do ar e isso por dois motivos: o primeiro é que aconteceu de o servidor onde ficavam hospedados os arquivos pra download simplesmente sumiu com todos os arquivos, me obrigando a republicar todo o acervo em algum outro lugar, que até então eu não sabia onde poderia ser. O segundo motivo foi que de outubro à dezembro estive viajando tanto a trabalho que praticamente não tive tempo para cuidar do site e isso me desanimou um pouco.

Então passou a virada do ano, a página de downloads teve que ficar um período indisponível aos visitantes, passou o 6º aniversário do site e... Quase no fim desse mês encontrei o que parecia ser a solução em relação a hospedagem do acervo. Republiquei tudo, refiz links e de quebra ainda acrescentei 10 textos novos (e de responsa) pra compensar os dias de ausência dos arquivos.

Também tive uma ideia bem bacana para divulgar espetáculos com apresentação em Sampa (que estão mais ao meu alcance) em troca de divulgação do próprio site... Parece promissor! Aguardo ansiosamente os primeiros contatos de grupos interessados! hehe

Quanto àquele desânimo... Ah, não dá pra ficar desanimada por muito tempo! Curto demais a ideia do meu site e a manutenção dele chega a ser uma terapia pra mim. E tempo pra cuidar a gente arruma! 

Mas qualquer vestígio de baixo astral realmente desapareceu quando percebi o número de curtidas na fanpage do site no Facebook aumentar vertiginosamente chegando a quase 2.000 hoje! WOW! Que boom!

Sou uma mãe coruja, sim! E tô muito feliz em saber que meu site é útil para os apaixonados por teatro como eu, é bom saber que o site está crescendo, ganhando espaço e ajudando a divulgar essa arte de tantas maneiras diferentes.

Só quero agradecer e dizer que farei o possível para que o site continue no ar por mais, 6 ou 60 anos!

www.desvendandoteatro.com
Merda e Evoé!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Ator Empresa

Como disse na postagem anterior, estou mexendo os pauzinhos para enfim me regularizar, correndo atrás de buRRocracias que eles pensam separar o joio do trigo. Embora todos saibamos que não é bem assim que funciona, pois há tantos registros de profissionais sem profissionalismo quanto bons e verdadeiros profissionais sem registro espalhados por aí. 

Graças à alguns poucos apoios sérios à arte, hoje em dia se faz necessário aos artistas não somente o nosso velho conhecido DRT, mas também um CNPJ. Um ator deve se tornar um pequeno empresário de si mesmo, seu nome artístico se torna também um nome fantasia de sua micro empresa individual.


Pois bem, estava eu dando uma olhada na lista de ocupações permitidas para MEI e não foi difícil perceber como são poucas as funções na área de arte e cultura que estavam elencadas. Inclusive, a falta da ocupação "ator" fica muito evidente! Foi então que na dúvida enviei um e-mail ao Portal de Empreendedor e sem surpresa recebi uma resposta automática que não responde de fato. Mas ao conversar com colegas de profissão consegui confirmar minha desconfiança...

Um ator que deseja formalizar-se deve se cadastrar como "Humorista/ Contador de Histórias" (e dentro disso está incluso tudo o que se refere à produção teatral). Mas caramba, há a função de Humorista e não a de Ator? Pois é! O SEBRAE diz que "ator não pode porque é sindicalizado", mas epa! Espera um pouco! Existe sim o SATED, mas um ator não precisa necessariamente se vincular à ele! 
Aí vem a regra do MEI que diz em seu Portal do Empreendedor: “O Empreendedor Individual é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário”; e ainda “que NÃO é permitido é que o vínculo empregatício (emprego com carteira assinada) seja substituído pela condição de EI”. Aaaaah, ok ok! Mas atenção, a grande maioria dos atores são considerados autônomos, freelancers e NÃO TEM CARTEIRA ASSINADA! 

Bom, entre tantas definições, informações e opiniões dúbias só o que eu realmente questiono é porque um ator deve emitir nota como Humorista se a categoria descrita inclui "produção teatral" como um todo? Não seria mais justa então criar a categoria "Produção teatral" propriamente dita? Afinal de contas, há a função Maquiador na lista, por exemplo, e a incidência dos profissionais da área que são registrados em carteira é muito maior do que os atores.

Mas é o que temos pra hoje, caros colegas! Talvez um dia se toquem, talvez não! Por hora, queria apenas tentar explicar o que o site não me explicou ao responder meu e-mail e deixar claro para os atores que procuram se formalizar que ao cadastrar como Micro Empreendedor Individual, devem selecionar a função "Humorista/ Contador de Histórias" como ocupação principal e emitir notas assim para seu trabalho de ator interpretando Tennessee Williams ou Shakespeare.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Preparados? Largar!

E comeeeeeeeeeeeeeçaaaaaaaaaaaaaaaa a corrida da burocracia!!!!!!!

Não curto "papelada", mas é fato que elas podem abrir portas e novas oportunidades. Sendo assim, essa semana estou começando a correr atrás da minha regularização profissional.

Hora de lidar com siglas... DRT, MTE, SATED, MEI, CNAE,... PQP! Haja! Mas vamos lá, coragem!

Mas não é só a corrida do burocracia que tá começando pra mim não. Tô começando a correria pra tudo, a corrida do ano novo, a pressa pra fazer 2015 ser "O" ano!

Estou tirando as metas do papel, estou dando início aos projetos, tô fazendo acontecer! Espero ter novidades em breve, boas notícias pra postar por aqui!

Me desejem boa sorte! Ou melhor, me digam MERDA!