sábado, 28 de fevereiro de 2015

Perguntinha inocente

Na última quarta-feira lá fui eu, mais uma vez, dar aula de teatro. Tudo correu bem com a turma da manhã e após o final eu fui almoçar. Uma das minhas alunas (de 9 anos) sentou-se à mesa pra me fazer companhia e aproveitou pra conversar. Foi então que ela me fez a seguinte pergunta:...

"É verdade que fazer teatro te leva, assim, a quase ser atriz?"

Espera aí que perdi o fôlego de novo aqui! Geeeeeeeenteeeeee! O que a TV tá ensinando pra essa geração? Que medo! Ok, acho que agora já dá pra continuar... Vamos lá!

Respirei fundo, tomei um gole de água pra me recuperar e respondi: "Ator é todo aquele que interpreta e representa uma ação dramática com base num texto. Então, todo aquele que faz teatro é um ator! Mas se a sua dúvida é sobre aquelas pessoas que aparecem na televisão fazendo novela, eles também são atores, mas eles fazem esse trabalho de um jeito um pouquinho diferente e cá entre nós, não é tão glamouroso como você deve imaginar. Vou ter tempo de explicar isso melhor pra vocês aqui nas nossas aulas, tá bom!? Mas olha só, eu sou sua professora de teatro, você nunca me viu na TV, mas eu sou atriz! Deu pra entender mais ou menos?" - Ela sorriu e consentiu com a cabeça! E assim tentei explicar da maneira mais simples e direta possível. Ela parece ter ficado bastante satisfeita com a resposta e como disse pra ela, terei tempo de conversar sobre isso com eles em aula.

Aí meus pensamentos se voltam novamente a "caixa eletrônica mágica". É triste a forma como a mídia faz as coisas parecerem ser mais do que realmente são. Sei o quanto alguns jovens procuram o teatro querendo chegar à TV e achando que pra isso precisam passar pelo teatro antes e agem como se o teatro fosse um sacrifício a ser superado pra se chegar à glória que, mal sabem eles, simplesmente não existe! Dói ver isso, meu coração sangra por saber que, infelizmente, muitos pensam assim e minhas experiências de trabalho parecem sofrer comigo de tanta tristeza!

Deixo aqui um apelo aos jovens atores e possíveis aspirantes à televisão: não menosprezem o trabalho de ator de teatro e não encarem o teatro como uma fase chata que você precisa passar pra chegar onde quer. E um conselho: não pensem que quem trabalha na TV tem uma vida sensacional, ganha muito dinheiro e respeito porque não é bem assim que a banda toca! Acreditem!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Notícia boa vem quando a gente não espera

Desde o finalzinho do ano passado eu estou ciente que 2015 seria um ano de muitas promessas, planos, metas, objetivos, muitos planos e projetos facilmente executáveis. Mas quando eu acho que já sei de tudo o que pode rolar, me aparece uma novidade!

Na segunda-feira dessa semana recebi uma ligação de uma pessoa muito querida e um convite para comandar uma oficina de teatro. E eu prontamente aceitei a missão! Faz bastante tempo que não tenho oportunidade de exercitar esse meu lado e eu adoro dar aula de teatro... Aula prática e teórica! E como em São Paulo distância é uma coisa muito relativa... "O teatro vai onde o povo está!"

Pois bem, na última quarta-feira já tive meu primeiro contato com os alunos. São duas turmas no mesmo dia, manhã e tarde. Uma criançadinha/pré adolescentes muito bacana! Boa parte deles são bastante interessados e foi tudo tranquilo. Claro, que há sempre aqueles mais exaltados e que exigem uma voz mais autoritária, mas não é nenhuma situação que eu não tenha conseguido contornar. E deu pra perceber bem que eles curtiram a primeira aula!

A meta é trabalhar com eles por 5 ou 6 meses e realizar uma montagem no final. (Ah, eu vou adorar isso! haha). Alguns deles já tiveram contato com teatro, já tem alguma noção e outros não. E a possibilidade de trabalhar teoria em conjunto com a prática deverá deixar tudo mais interessante. 

Eu certamente devo fazer postagens periódicas por aqui pra falar da evolução das aulas. Mas estou bastante animada e fiquei muito satisfeita com o primeiro dia. Acredito que vai dar muito pano pra manga, vai ser bem legal pra mim e pra eles. 

Me desejem sorte... Ou melhor, me desejem MERDA! E vamos que vamos, pois esse é só um dos muitos projetos que tenho engatilhado para esse ano. 2015 será um dos anos mais importantes da minha carreira, tô sentindo isso!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Caixa (eletrônica) mágica

"Na televisão tudo é muito superficial. Só o teatro realimenta o ator. Ao fazer uma peça de teatro, ele é obrigado a, todo dia, melhorar e aprofundar sua interpretação". E não sou eu quem diz isso, são palavras de Paulo Autran!

Não sei se já disse isso aqui, mas não gosto de novela. A última trama que acompanhei foi "Senhora do Destino" (2004) e depois disso perdi o tesão! Algumas pessoas (principalmente as que não são do meio) me perguntam "mas você é atriz, como pode não gostar de novela?". Não consigo mais assistir, não tenho mais saco pra acompanhar o mesmo bolo sendo feito sempre do mesmo jeito trocando-se apenas a cobertura! Enjoa! Pra mim é um fato incontestável que as emissoras (principalmente a Globo, claro!) descobriram uma fórmula pra fazer novela e essa fórmula não pode ser muito alterada, pois nesse caso deixaria de ser a "fórmula do sucesso". Mas caramba, dá pra inovar? É sempre a mesma ladainha... Casal que se ama, mas não fica junto por causa de um vilão que acaba ficando louco ou morrendo, tudo se resolve na última semana e no último capítulo todos vivem felizes para sempre! Aaaah, me poupe! E sim, eu sei que nem toda trama se desenrola dessa maneira, mas a fórmula é a mesma, pode acreditar!

Bom, mas o que eu penso a respeito de novelas não é exatamente a questão aqui. Acontece que depois de muuuito tempo sem ter a menor disposição pra isso, ontem a noite tive o desprazer de assistir uma única cena. E só ela foi mais do que suficiente pra me embrulhar o estômago! 

Telespectadores, por favor! Sejamos sensatos! O que é Paulo Betti tentando, em vão, interpretar um homossexual? Me deu um arrepio na espinha ao ver tamanha falsidade, desleixo e falta de bom senso de um ator! Não é possível que mesmo alguém que adore novela e não seja da arte não perceba o quão feio é isso! Interpretação caricata, nonsense e que, na minha opinião, chega a ser ofensiva!

Chamamos um palco italiano de "caixa mágica" e a televisão parece ser uma "caixa eletrônica mágica" onde tudo pode acontecer... Inclusive coisas absurdamente ruins que ferem o bom gosto e subestimam a inteligência do povão. E isso me fez pensar... E se não fosse na Globo? E se não fosse Paulo Betti? Provavelmente revistas e programas de fofoca estariam metendo pau e talvez já tivessem dado um jeito de matar o personagem, por que né... Pelamor!

Aí, como nada acontece por acaso, li a frase do grande Paulo Autran que iniciou essa postagem. Sim, o Paulo Betti já teve tempo suficiente pra procurar melhorar esse seu trabalho, mas parece que ele não está muito feliz com que está fazendo então de qualquer jeito tá bom. Por isso amo os diretores de teatro, que pegam no pé de um ator e xingam se preciso for. Por isso amo o teatro em si que aproxima o público e permite ao ator perceber quando não está agradando e isso pode motivá-lo a querer melhorar. 

Por isso tudo digo que não precisa ser bom pra estar na TV. Basta ter um QI ou um rabo bonito... Estão aí ex BBBs que não me deixam mentir! Então, caros atores colegas de sofrimento, se é a fama da TV que almejam, aconselho que rasguem seus DRTs, esqueçam tudo o que aprenderam e vão assistir Paulo Betti na novela. Aparentemente, isso é o que funciona por lá! Eu continuarei por aqui, com a singularidade e simplicidade do teatro, muito obrigada!