segunda-feira, 29 de junho de 2015

Ganância

Vira e mexe me deparo com divulgações de espetáculos genéricos extremamente mal feitos de filmes Disney e equivalentes... Aí a criança vê o desenho da Galinha Pintadinha num cartaz e por mais que o nome do espetáculo seja "Mariazinha e a Galinha Pintadinha no Reino da Porcaria" (exemplo tosco, porém plausível!) a mãe leva a coitada da criança. A pobrezinha vai super acreditando que vai ver a Galinha Pintadinha do desenho, mas o que encontra no teatro é uma fantasia mal feita e uma maquiagem derretendo capaz de traumatizar até adultos.

Isso me incomoda de um jeito doido! A ganância por dinheiro é tão grande que faz pessoas montarem espetáculos de baixa qualidade para crianças, sem nem se importar com o estético ou com a história. E os pais, que muitas vezes não podem pagar mais por uma montagem apresentável ou acaba se deixando levar pelos desejos dos filhos, são obrigados a compactuar com a palhaçada toda pra desiludir ainda mais as crianças.

CALMA! Não estou dizendo que todos os espetáculos infantis que usam nomes de filmes famosos são ruins. Mas o fato de que a maioria é de uma qualidade deplorável, isso é simplesmente inegável!

Como profissional da área, sei bem como é difícil levar público para assistir um espetáculo infantil que não tenha o nome de um personagem famoso no título. Acreditem, eu sei! Mas peraí né, galera!

Caros pais e responsáveis... Também sei o quanto é osso pagar caro pra levar uma criança pra assistir "O Rei Leão" quando o ingresso de "A Turma de Madagascar" custa menos da metade. Mas façam um esforço! Conversem com seus filhos, juntem um pouquinho mais de grana, mas POR FAVOR... Se é pra levar criança ao teatro, que seja pra assistir algo de que ela vai gostar, algo que valha a pena o dinheiro gasto no ingresso, algo de que ela vai se lembrar com alegria e não com trauma por ver uma Peppa Pig gigante com olhos pintados de branco onde deveria estar a boca.

Caros colegas de trabalho... Invistam! Pra ganhar dinheiro é preciso gastar dinheiro! E, se tratando do público infantil, não economizem! É foda pagar direitos autorais, dói o bolso pagar caro por um figurino bem feito e um cenário prático e bonito sim! Mas vale a pena! Experimenta montar um espetáculo sem título famoso e sem personagem plagiado e corre atrás, cara! Vai correr por patrocínio, nem que seja "vaquinha virtual", mas tá valendo! Vale a pena pela qualidade de seu próprio trabalho, vale a pena fazer algo bem feito, vale a pena ver crianças felizes, vale a pena lucrar pouco no começo até que a montagem conquiste público com o boca a boca... Vale a pena!

Sejamos menos gananciosos! Vamos pensar mais no público do que em nós mesmos, pois sem público não há espetáculo!

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Missão dada é missão cumprida!

Em fevereiro fiz uma postagem sobre uma boa notícia, uma nova missão que aceitei com muito gosto... Ministrar uma oficina de teatro!

Iniciei o trabalho e fui conhecendo as duas turmas (manhã e tarde), explorando possibilidades individuais e coletivas, espremendo, experimentando, moldando.

Hoje, tive o incrível prazer de assistir as duas montagens feitas com meus alunos. Fiquei ansiosa, nervosa, um tanto à flor da pele,... Arrepiada, emocionada e, finalmente, orgulhosa! 

Por mais que tente, não consigo descrever de maneira fiel tudo o que senti durante todo esse período e, principalmente, no dia de hoje. 

Só sei que foi tudo lindo! Longe de ser perfeito, um tanto distante do que realmente havia concebido em minha mente, mas lindo! 

As apresentações apresentaram falhas e algumas delas podem ter sido conduzidas por mim, tenho plena consciência disso. Mas afinal, quando uma apresentação é impecável? O que é perfeição? Será que isso existe? Tenho lá minhas dúvidas! E por esse e outros motivos, no dia de hoje, me sinto feliz, realizada e com aquela sensaçãozinha de dever cumprido que insiste em colocar um sorriso largo no meu rosto (depois de chorar de emoção, é o mínimo que se espera! hehe).

Sou imensamente grata à amada amiga Riane Zohar pela indicação e confiança. Agradeço ao CCA São João Batista pela recepção de braços e coração abertos todas as quartas-feiras, principalmente ao Robson  pela aposta e a Debora por agora me emprestar para o mundo. Agradeço ao meu marido pela cessão dos textos e música e pelo apoio de sempre. Mas agradeço principalmente aos meus alunos! Sou grata por todo o carinho, pela confiança de me permitir conduzí-los para montagens tão singelas, bonitas e repletas de mensagens positivas! 

Obrigada por tudo, meninada! Vocês arrasaram! Vocês ARRASAM todos os dias! Merda hoje e sempre! Merda! Sucesso em tudo que fizerem na vida! E acreditem: Vocês são capazes de qualquer coisa e juntos são mais fortes!

Sei que muitas coisas vão mudar agora, mas procurem não se esquecer dos ensinamentos, das mensagens passadas em cena hoje, do que é possível fazer com trabalho em equipe. Tentem não esquecer de mim, porque eu... Não os esquecerei jamais!

Até uma próxima oportunidade! E parabéns pelo trabalho! Juntos realizamos tudo isso, pois sabemos que missão dada é missão cumprida!





















Beijos!

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Mais um "filho" que nasce com saúde

Já falei aqui sobre a esquete "A Família Gildézia", apresentada em 2011 dentro do espetáculo "As Mancadas Nossas de Cada Dia". Pois bem! No ano seguinte, a esquete ganhou uma espécie de continuação e o sucesso foi igualmente surpreendente e animador! Depois disso, surgiu a vontade de juntar as duas esquetes, melhorá-las, encorpá-las e transformar num espetáculo completo!

O texto demorou para ficar pronto, foi modificado diversas vezes e várias versões foram feitas. Mas a montagem mesmo não saiu e o projeto foi engavetado. No início desse ano, "A Família Gildézia" não estava nos planos, mas quis o destino que ficássemos exatamente com o número de pessoas necessária para formar o elenco da "Família"... Pelo menos era o que nós pensávamos! 

É impressionante a falta de compromisso de algumas pessoas. Independente de você ser aluno de um curso de teatro, ou ator profissional, ou amador, ou bolsista... Honre seus compromissos e não ferre os colegas! Pra resumir... Por medo, por falta de vergonha na cara, por falta de responsabilidade, falta de compromisso e até por filha da putagem, nós "perdemos" (pra não dizer que nos livramos de) ao menos 7 pessoas! É muito furo pra tão pouco tempo! Mas isso não nos abalou! 

Mesmo com todas as adversidades, das mais inimagináveis, conseguimos estrear essa montagem tão querida e esperada não somente por nós, mas também por amigos que conheciam a história dessa família baiana. Mais um filho da Katinsk Produções nasce saudável!

Fiquei muito feliz com o resultado final, com a público de 60 pessoas numa noite fria e chuvosa de domingo num espaço que acomoda 100 pessoas. Saldo mega positivo em vários quesitos! Claro que não foi perfeito, mas nada que empobreça ou diminua o brilho da montagem. 

Agradeço imensamente a todos que nos prestigiaram! Ao elenco, verdadeira família, agradeço a confiança e companheirismo! Agradeço até as pessoas que talvez pensem conseguir nos prejudicar, mas que na verdade só nos deixam mais fortes e capazes de superar qualquer obstáculo.

Em nome da Cia. agradeço o acolhimento da Casa de Cultura Salvador Libague. E aproveito para convidar todos para a reapresentação dessa comédia nordestina no dia 14 de junho às 20h no mesmo local.

Elenco, da esquerda para direita: Lucia Costa, Gercilene Santos, Jorge Katinsk, Janaina Eloa e eu, Hellen Bravo.
"A Família Gildézia" espera por vocês no dia 14 com muita alegria e amor! Evoé!... Eita Porra! ;)