quinta-feira, 30 de julho de 2015

Resultado

Quem me conhece sabe que eu sou uma "mãe coruja". Babo mesmo nas minhas "crias", na minhas criações, nos meus feitos, nas minhas realizações. Pois bem... Como se não bastasse escrever aqui sobre apresentações feitas com meus alunos, eu resolvi mostrar:

A turma da manhã apresentou "As Mancadas Nossas de Cada Dia". Um programa feito por dois apresentadores com esquetes que retratam acontecimentos cotidianos. Claro que cada trecho tem uma mensagem. Afinal essa já é uma marca registrada do autor Jorge Katinsk.



A turma da tarde apresentou um espetáculo infantil "A Floresta Encantada". Trazendo ensinamentos, graciosidade e diversão.


E assim aconteceu! E sim, eu ainda estou "babando"! E sim, vou me lembrar disso pra sempre e por isso quis compartilhar esses vídeos.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Teatro é trabalho! Ser ator é profissão!

Quando se fala em trabalhar com arte, o preconceito está sempre por perto. Mas além da falta de informação, isso talvez se deva à falta de comprometimento de algumas pessoas.

Eu levei anos pra crescer, amadurecer e entender o que precisava fazer pra ser profissional de fato, pra me formalizar e pra cuidar do meu futuro.

Fiz uma postagem aqui falando do cadastro como MEI... Pois bem, é um processo trabalhoso, porém simples depois que você entende como a coisa funciona. Corri atrás da minha formalização, inicialmente, para possuir um CNPJ e poder emitir nota fiscal de prestação de serviço, mas hoje vejo um pouco mais além. 

O valor pago mensalmente é pequeno, chega a parecer simbólico diante das vantagens à longo prazo. Talvez seja a idade batendo na minha cara, mas hoje estou feliz por ter me formalizado. Penso adiante... A profissão de ator é única e lhe permite trabalhar em qualquer idade, pois sempre haverá uma vovó pra ser interpretada. Mas chega (sempre chega) um dia em que não se tem mais condições para trabalhar. A disposição, a memória, a voz... Você já não é o mesmo! E então? É chegado o momento da aposentadoria. Me formalizar e recolher esse valor ínfimo, me garantirá uma aposentadoria na velhice. Não, não será muito grande, talvez mal dê pros remédios, mas é alguma coisa, é um alívio, é uma garantia, é merecido, é uma maneira de nos recompensarmos após anos de vida levando informação e diversão, anos vivendo teatro!

E no meu caso, que alimento o sonho de ser mãe, é um auxílio durante os meses que a barriga e os primeiros momentos com um bebê me impedirem de subir num palco. 

Resumindo, essa postagem é uma comemoração com um conselho embutido! Meus quase 30 anos me dizem que essa foi uma das melhores coisas que já fiz por mim mesma. E se pudesse aconselhar colegas de profissão, diria que também o fizessem por si próprios. Formalizem-se! Recolham seus impostos, façam o que puderem, paguem INSS e o seu eu do futuro, em tempo, irá lhe agradecer!

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Exagero X Falta de noção

Ontem vi uma notícia na "capa" do Yahoo que me fez subir o sangue. Claro que quando se trata de notícias desse tipo em sites como esse, eu fico com os dois pés atrás, maaaas... 

A manchete diz que "Marisa Orth surta e chama fã de louca", mas gente peraí! Quem tá errado nessa história? A Marisa que "surtou" ou a retardada que queria entregar cartinha e ainda subiu no palco NO MEIO do espetáculo?  

A Marisa foi rude? Sim, com certeza e com razão! Talvez não precisasse "tanto", mas o que essa retardada esperava conseguir interrompendo um espetáculo?

 Aí comecei a pensar... Já compartilhei por aqui, até mais de uma vez, minha opinião sobre a TV e toda a comodidade gerada por ela. A televisão não é a única culpada mas, na minha opinião, tem grande parcela de culpa na alienação da sociedade. As pessoas estão perdendo a noção!

Eu não estava lá, nem sei se é verdade, mas vamos levar em consideração que aconteceu exatamente como diz o site. Sendo assim, uma criatura sem noção de ridículo queria entregar uma carta pra uma artista da qual é fã... Até aí ok, mas durante uma apresentação teatral? No meio do espetáculo? Cara, não dava pra esperar até o final? E pra piorar, encarou a "bronca" da atriz em cena como brincadeirinha e ainda subiu no palco!!! DIONÍSIO DO CÉU, ME ACUDA! Tem probleminha, filha?... E aí, a Marisa chamou a tapada de louca (com muita razão!) e ela é quem é crucificada? Alô imprensa, tá cheirando cola? Vocês acham mesmo que uma atriz deve interromper sua atuação numa peça pra atender uma fã? Se sim, não sei quem é mais retardado nessa história, se é a menina que foi ao teatro pra fazer essa merda ou se vocês que estão noticiando o acontecido como se a errada fosse a Marisa chamando o segurança pra tirar uma maluca do palco. Por favor, né gente!?

Vamos acordar! Vamos ligar o modo "semancol" do cérebro e pensar um pouco antes de agir!

E Marisa, tô contigo!

sexta-feira, 10 de julho de 2015

2 anos watchatchá!

Em que você pensa quando se fala em entretenimento? E em festa de aniversário? O que dizer então quando o assunto é entretenimento em festa de aniversário? É fácil pensar em palhaços, esculturas em balão e coisas do gênero. Mas e se esse entretenimento, além de diversão, proporcionasse conhecimento? Então imagina uma maneira diferente e divertida de ensinar conceitos científicos no meio de uma festa de aniversário... E o nome disso é Mad Science!



 

Lembro da divertida genialidade do saudoso Mundo de Beakman e as experiências incríveis realizadas de maneira divertidamente simples por um cara de cabelo estranho. E eu nem poderia imaginar que um dia eu pudesse fazer algo sequer parecido. 





Hoje comemoro dois anos de criação da cientista maluca Lena Láctea. Com humor, criatividade e "falta de noção", seu nome não poderia ser mais ideal! Embora pareça viver com a cabeça no espaço, me surpreendo a cada vez mais com a vida que este personagem ganhou. Algumas de suas características foram absorvidas e aprendidas com cientistas esplêndidos, mas alguns aspectos parecem ter sido criados por sua própria conta e sem que eu tivesse qualquer controle. E assim, ela se tornou um dos personagens por que tenho mais carinho!

 
Sou grata pelo aprendizado que esse trabalho me proporciona e pela admiração que adquiri pelo mundo da ciência nesses dois anos. Sou feliz por ver sorrisos, os olhos brilhando das crianças e a expressão de admiração dos adultos. Agradeço pelas amizades que fiz neste ambiente de trabalho, com todas as risadas, maluquices e descobertas que vivemos juntos. E, enfim, por toda a diversão que esse trabalho proporciona! 


Não tenho um cara vestido de rato do meu lado, mas tenho cientistas tão malucos quanto a Láctea realizando coisas incríveis e instruindo crianças de todas as idades. E para tudo isso, nem mesmo o céu é o limite!


 


Watchatchá!